Fé & oração

O poder da fé e oração na simplicidade do campo. Não, a homem ou mulher, no campo que não conheça para seu uso próprio, infusão de raiz e folhas para os males de diferentes órgãos, como um, banho de várias evas para machucados e inflamações, rezas e simpatias para pedir chuvas ou afasta a peste de seu quintal, para se livra de um achaque ou para atrair dinheiros, etc.

Crescer o contingente dos que, de uma forma ou de outra, se ligam as benzeduras aos “Trabalhos” nos terreiros, dos que guardão seu amuleto e medalhas, dos que deixam os seus ex-votos juntos com os santos, dos que confessam uma crença no poder dos paranormais de operar, de que tem certo médium ou “doutores”, ou na eficiência de uma simpatia feita com fé e respeito.

Tem-se assim as rezas, benzeduras, simpatia, garrafadas, infusão, chás, banhos de evas, poções ditas magicas, oferendas aos santos, vale de tudo para a cura de um mau antigo ou de uma dúvida recente ou ainda, para chamar chuva; para acabar com a peste dizimadora; para espantar para bem longe o mau-vizinho ou a sogra impertinente, para arranja um bom casamento ou ganhar na loteria; para fazer o filho preguiçoso passar de ano ou arranja um emprego.

O homem ainda recorre à natureza, as estrelas e pede a ajuda do céu para a cura dos males do corpo e do espírito na busca eterna da felicidade plena.

Nos momentos de tribulações as pessoas têm o costume de pedir a Deus o livramento, mas o ideal é se encher do Espírito de Deus para se alegrar em Deus, louvando e exaltando o nome do Senhor, mesmo que esteja passando por uma grande tribulação, pois a alegria do Senhor não é como a alegria circunstancial que o mundo oferece.

O cristão precisa encarar a tribulação como uma oportunidade de crescimento espiritual em intimidade com o Senhor.